Hoje, 12 de novembro, comemora-se o 106º aniversário da morte do poeta do Eu, marco da nossa pré-modernidade literária por romper com o código parnasiano-simbolista. Essa obra cada vez mais se populariza graças às imagens vigorosas e à representação, entre outros tópicos, da melancolia humana decorrente do “pecado original”. Culpa, rejeição ao materialismo mecanicista e anseio de transcendência latejam numa poesia marcada por excessos e contrastes. Esses traços dissonantes, que lhe imprimem uma áspera musicalidade, vêm exercendo sobre o público uma atração cada vez maior.

https://meuspecadospoeticos.blogspot.com

Publicado por Chico Viana

Chico Viana (Francisco José Gomes Correia) é professor aposentado da UFPB e doutor em Teoria da Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Em sua tese, publicada com o título de O evangelho da podridão; culpa e melancolia em Augusto dos Anjos, aborda a obra do paraibano com o apoio da psicanálise. Orientou cerca de 37 trabalhos acadêmicos, entre iniciação científica, mestrado e doutorado, e foi por dez anos pesquisador do Conselho Nacional de Pesquisa (CNPq). Desde muito jovem começou a escrever nos jornais de João Pessoa, havendo mantido coluna semanal em A União e O Norte. Publicou cinco livros de crônicas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: